• Categoria: Artigos | Data: 14 de Julho de 2016 | Comentários desativados
herois

Desenvolvimento de Ambientes de TI Otimizadas para a era dos Negócios Cognitivos

Suas aplicações são únicas; então, por que você não deveria ser capaz de escolher onde os seus vários serviços são executados? Na era dos negócios cognitivos, você poderá escolher entre plataformas, runtimes e modelos de implantação.

Os líderes de tecnologia do amanhã precisarão desenvolver a arquitetura de acordo com as necessidades dinâmicas da economia, acesso a dados, cargas de trabalho, aprendizagem de máquina, conformidade e desempenho. Isso significa que eles precisarão desenvolver uma arquitetura otimizada e estratégica de todos os componentes.

Eles precisarão se concentrar na inovação, uma vez que a tecnologia do futuro será diferente da atual, dados mais centrados e com mobilidade intensiva. Chegar lá exigirá arquiteturas otimizadas que sejam adaptáveis às mudanças inevitáveis.

Um modelo que se ajuste a todos, não apenas um ajuste para a era dos negócios cognitivos

Desenvolver arquiteturas otimizadas requer uma estratégia clara de infraestrutura, tanto em relação ao conhecido quanto ao desconhecido. O desenvolvimento visando o desconhecido pode parecer complicado, mas é essencial em uma época onde a tecnologia está em constante mudança.

As inovações futuras estão lá fora e se a sua arquitetura não está pronta para garantir um movimento contínuo, então você corre o risco de ficar para trás. A economia conectada atual exige tecnologia aberta (conforme discutimos em nosso post anterior) e opção para otimização a fim de acelerar as inovações tecnológicas.

IBM: desenvolvimento com inovação colaborativa

No último post, falamos sobre como a tecnologia aberta está se tornando um motivador da era dos negócios cognitivos. Mas de que adianta tecnologia aberta, se ainda a estamos usando de maneira fechada? A IBM está trabalhando para garantir que você tenha a escolha de executar seus serviços onde estes possam ser melhor otimizados.

Se isso significa trabalhar para combinar o melhor das tecnologias abertas da IBM com o melhor das outras tecnologias abertas de outros fornecedores, então que assim seja. Foi utilizando exatamente essa abordagem que a IBM trabalhou em estreita colaboração com a NVIDIA em um projeto para Departamento de Energia dos EUA.

Escolha pela otimização – História de sucesso da IBM

Departamento de Energia dos EUA

O DOE, Departamento de Energia dos EUA, conhece os ambientes de Big Data. Eles sabem que são diferentes e sabem que precisam de uma nova arquitetura que incorpore a potência computacional em qualquer lugar. E isto está no centro do movimento IBM em direção ao design centrado em dados.

As abordagens atuais de dados que vão e voltam repetidamente do armazenamento para o processador se tornaram insustentáveis por causa do tempo e energia significativos que esses movimentos maciços e frequentes de dados acarretam. O design centrado em dados imprime velocidade. A velocidade permite a convergência de análises, modelagem, visualização e simulação. A abordagem antiga não estava funcionando para as necessidades do DOE. Eles precisavam de um sistema que fosse otimizado de acordo com suas necessidades exclusivas.

IBM e NVDIA como solução

E é aqui que a IBM e a parceira NVIDIA,  membro do OpenPOWER, uniram-se para ajudar o DOE a gerar novos insights em velocidades incríveis com a nova solução NVLink.

A tecnologia de interconexão NVLink permitirá que CPUs e GPUs troquem dados de cinco a 12 vezes mais rápido em comparação ao desempenho atual.

Esta solução otimizada ajudará os desenvolvedores do Departamento de Energia a aumentarem a velocidade dos aplicativos mais facilmente com o uso de aceleradores de GPU ao moverem de forma incremental partes do aplicativo e dos dados para a GPU. Confira o comunicado de imprensa para obter mais detalhes sobre como a IBM e o DOE estão trabalhando de forma colaborativa para  otimizar o Big Data .

Você está pronto para o desenvolvimento com inovação colaborativa?

Honestamente, sabemos que os sistemas de supercomputação do Departamento de Energia dos Laboratórios de Lawrence Livermore e Oak Ridge National provavelmente são maiores do que aqueles que você está trabalhando. Mas o objetivo da era dos negócios cognitivos é levar tecnologia como esta a grandes e pequenas organizações.

Esta é uma abordagem audaciosa, na qual estamos lhe pedindo para reavaliar a maneira como você faz negócios. Estamos pedindo para colocar a tecnologia na vanguarda e torná-la um motivador da inovação empresarial.

Comece conversando com um de nossos especialistas em negócios cognitivos para iniciar a avaliação da jornada para negócios cognitivos da sua organização.

Voltar